Entrevista: mafalda jesus

fotografias: Tiago

untitled

save

Tiago ligou o design com o gosto pela arte e pela cidade do porto. As suas imagens juntam o moderno com o tradicional e um cheirinho de humor. Em Untitled Save, adapta a cara de figuras icónicas no mundo artístico, ao corpo de pessoas normais, quem sabe, alguém com quem se cruza na rua. É através desta mistura que nos cativa, com imagens inesperadas que se tornam familiares.

1) MELANCIA: Quem é o Tiago?
UNTITLED SAVE: 
Isso é uma ótima pergunta. É muito difícil definirmos a nós mesmos.

2) M: De onde veio a inspiração para criar o “Untitled Save”? Como tudo começou?
U: Quando ingressei no 10o ano, no curso de Design de Equipamento, comecei a ter a disciplina de história da cultura e das artes e desde aí o meu interesse pela arte e mais especificamente pela pintura surgiu. Ao longo destes anos tenho tentado aprender mais sobre este tópico, assim como outras vertentes artísticas, como a música, o cinema... Decidi criar o Untitled Save para expor algo que já realizava há algum tempo, mas que no entanto ficava apenas guardado para mim. Quando criei a página, o meu maior objetivo era expor o meu trabalho, mas ao mesmo tempo divulgar a cidade que mais me inspira a nível artístico, o Porto. Atualmente o Porto está uma cidade muito turística, pessoas de todo o mundo vêm visitar esta cidade, por isso é normal ir na rua e ver pessoas diferentes, com estilos diferentes. Sempre que passo por uma pessoa com um estilo mais irreverente imagino um artista específico associado a isso.

3) M: É um projeto relativamente recente, mas já conta com um grande número de seguidores no Instagram. Na tua opinião, o que cativa as pessoas?

U: É sempre interessante conseguir entrar na imaginação de outra pessoa e é isso mesmo que a minha página é, a minha imaginação em imagens. No entanto, trazer os artistas para a atualidade faz com que se crie uma relação de proximidade entre eles e os seguidores.

4) M: Qual é o critério para a escolha das personagens? 

U: As personagens que escolho são pelo gosto pessoal.

5) M: Recolhes as fotografias de fundo na internet ou és tu que fotografas? Como funciona o processo? 

U: As fotos são derivadas de uma pesquisa, posteriormente falo com a pessoa que a fotografou para pedir autorização para a utilizar. Depois passa pelo processo de edição de imagem. É um percurso longo e que acaba com imensos trabalhos colocados de parte, no entanto, o resultado final compensa sempre.

6) M: O que achas que o Van Gogh diria ao ver-se tão moderno? 

U: Van Gogh morreu em 1890 e durante anos vários artistas têm realizado reinterpretações das suas obras. Vivendo eu na era digital, considero que é
a evolução dos tempos. Para além disso Van Gogh sempre foi um artista irreverente, tenho a certeza que a maneira como é caracterizado lhe agradaria.

7) M: Se pudesses conhecer algum destes artistas, qual seria e porquê? 

U: O Salvador Dali, sem dúvida! A excentricidade que ele tinha e o facto de ele ser sempre uma pessoa à frente do seu tempo. Adorava saber o que ele pensaria sobre o mundo em que vivemos atualmente.

8) M: Já pensaste em sair do mundo virtual e expôr o teu trabalho? 

U: Adoraria, mas atualmente isso não depende de mim.

9) M: Onde gostarias de chegar? Tens objectivos a cumprir? 

U: Dar a conhecer a minha cidade, mas a cima de tudo dar a conhecer o universo da pintura a um público mais abrangente.

10) M: Deixa uma mensagem à MELANCIA e aos seus leitores. 

U: Obrigado pela oportunidade de mostrar pela primeira vez o meu trabalho ao público português.

www.instagram.com/untitled.save

 PREFERES 

- Frida Kahlo ou Mona Lisa? Frida Kahlo.

- Fotografia ou Edição? Edição.

 

- Vinho ou Cerveja? Água.

 

- Música ou Filmes? Música.

 

- Noite ou Dia? Dia.

 

- Campo ou Cidade? Campo.

 

- Instagram ou Netflix? Netflix.

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png