Tatuagem
/
Novembro 2019

Entrevista: RITA ALVAREZ

tatuagens: maria

m

inspirada

Directamente da Rússia para Portugal, Maria veio espalhar tinta em terras lusas. Trouxe com ela o amor pela botânica e desenho científico, e são precisamente esses os temas que mais explora no seu trabalho. Tatua com uma técnica chamada “stick and poke”, que não requere o uso de máquina de tatuar, fazendo tudo à mão. É essa singularidade que se destaca nas tatuagens de Maria.

1) MELANCIA: Quem é a Maria?
M INSPIRADA: 
Sou uma tatuadora, uma pessoa criativa “da cabeça aos pés”.

2) M: Conta-nos: o que te fez vir da Rússia para Portugal? Como começou toda esta jornada no mundo da tatuagem?
M: Adoro a natureza da Rússia. Nasci e vivi nos Urais, é uma zona linda com muitos lagos e montanhas mas, nos últimos dois anos, o ambiente mudou muito e esta é uma das principais razões pelas quais me mudei para Portugal com a minha família.

3) M: As tuas tatuagens têm uma grande diferença da grande maioria das tatuagens: são hand-poked. Qual o propósito desta técnica? Explica-nos o conceito.

M: A jornada começou com a minha primeira tatuagem @sashatattooing, foi um presente da minha irmã gémea @ann_pokes - ela também faz tatuagens. Eu acompanhei o crescimento bem sucedido da carreira da minha irmã e, 4 anos depois, decidi tentar fazer tatuagens. Atrás de mim estão 15 anos
de uma longa educação artística por isso foi mais fácil começar. Eu faço a mesma coisa que os outros tatuadores, mas só com uma agulha e sem máquina. Estas tatuagens curam mais rápido e são menos dolorosas. É um trabalho manual e muito trabalhoso, porque eu faço todos os movimentos (poking) manualmente.

4) M: Sempre fizeste hand-poked ou começaste por tatuar à máquina?

M: Comecei com o hand-poke, a minha irmã ensinou-me.

5) M: Existe alguma diferença a nível de resultado entre as tatuagens hand poked ou as feitas com maquina? E a nível de dor?

M: Os resultados dependem sempre da pele e do cuidado com a tatuagem depois da sessão, durante o processo de cura. Às vezes, é claro, a correção é necessária. Faço-o gratuitamente. Quase todos os meus clientes dizem que o hand-poke é menos doloroso que uma tatuagem feita por uma máquina.

6) M: Pelo que podemos ver, no teu portfólio predominam tatuagens de elementos naturais, interpretados com linhas finas e feitas a preto. Como descreverias o teu estilo? 

M: Botânica! Adoro tudo o que está relacionado com os elementos das plantas.

7) M: Enquanto tatuadora, procuras respeitar o teu cunho artístico ou fazes o que o cliente pede mesmo que não te identifiques com o pedido? 

M: Eu só faço o que se enquadra no meu estilo e o que é interessante para mim e nunca duplico desenhos, faço sempre algo novo.

8) M: Qual a tatuagem de que mais te orgulhas? 

M: Adoro fazer galhos com sombras dentro das folhas, posso dizer que é a minha imagem de marca.

9) M: Qual a situação mais embaraçosa porque passaste com um cliente? Conta-nos! 

M: É difícil de lembrar, mas às vezes os desenhos têm pormenores tão pequenos que a sessão dura muito tempo. Peço sempre desculpa por isso, porque me esforço muito e quero fazer bem o meu trabalho.

10) M: O que te faz feliz? 

M: Quando tudo é por amor! Quando se faz o que se gosta.

11) M: Deixa uma mensagem à MELANCIA e aos seus leitores.

M: Façam sempre o que amam e não se forcem a fazer coisas que não gostam. E sonhem!

www.instagram.com/m_inspirada

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png