tatuagem

Entrevista: RITA ALVAREZ

MarizaSeita

MARIZA

SEITA

O que começou como um genuíno interesse em apenas ser tatuada, evoluiu para o sonho urgente de poder tatuar outras pessoas. Mariza Seita é uma das tatuadoras mais procuradas do país e conseguimos, naturalmente, perceber porquê: figuras coloridas de contornos consistentes formam o estilo inconfundível e tão solicitado de Mariza, a que a mesma apelida de girly traditional tattoo.

1) MELANCIA: Quem é a Mariza Seita? 

MARIZA: Acima de tudo, uma Mulher que apoia outras Mulheres, que gosta do ser humano, gosta de fazer rir e de espalhar boas vibes.

2) M: Como começou a paixão pela tatuagem? 

MS: Comecei a ter interesse nas tatuagens - mais nas tatuagens do que em ser tatuadora - desde muito nova, porque sempre me dei com malta mais velha e alternativa da zona de Almada. Depois de ter feito a minha segunda tatuagem e de ter visto como se fazia, pensei “acho que sou capaz de o fazer”. Não aguentei e acabei por aprender a tatuar ao mesmo tempo que andava na faculdade a tirar o curso de Escultura.

3) M: As tuas tatuagens são um equilíbrio de linhas de contorno fortes, tons pastel e uma vibe assumidamente vintage. Como defines o teu estilo? 

MS: Sempre uma das perguntas mais difíceis! Penso que podemos chamar-lhe “Girly Traditional Tattoo”.

4) M: Alguma tatuagem que te tenha marcado? Porquê? 

MS: Difícil! Gosto muito de todas mas, talvez a que me identifica mais, seja a que tenho nas costelas com uma frase de Fernando Pessoa. Mesmo não sendo uma das minhas tatuagens favoritas, tem muito significado.

5) M: Como foi, para ti, abrir a Ink and Wheels? Descreve-nos o teu espaço. 

MS: Abri a Ink&Wheels em 2015 e quis que fosse um espaço no qual as pessoas se sentissem convidadas a entrar. Um espaço cheio de cor, plantas e boa energia, sempre com um toque Retro (pois fi-lo à minha imagem e nada melhor do que nos sentirmos “em casa” no espaço onde trabalhamos e, por sinal, onde passamos grande maioria das horas do dia). O feedback que temos dos clientes é exactamente esse: sentem-se bem e à vontade connosco, o que acaba por ser meio caminho andado para que tudo corra bem.

6) M: Tens uma voz activa na luta contra o cancro da mama e, através da tua arte e de forma totalmente gratuita, ajudas várias mulheres a recuperar alguma da auto-estima perdida ao longo de todo o processo. Fala-nos, por favor, deste projecto solidário tão merecedor de atenção. 

MS: Tudo isto começou porque sou uma pessoa muito curiosa e, acima de tudo, porque gosto muito de pessoas. Ao procurar inspiração para a minha loja, deparei-me com um tatuador na Austrália que fazia reconstrução de mamilos e pensei: “porque não fazê-lo cá em Portugal?”. Estudei muito a técnica e, quando finalmente tatuei a minha primeira “cobaia” vítima de cancro da mama, senti que não conseguiria cobrar por isso. Foi um passo muito importante na minha vida porque ainda não tinha muito trabalho, foi um risco... mas foi mais forte do que eu. Hoje em dia, já organizo a agenda de maneira a não ficar prejudicada monetariamente por ajudar estas mulheres. E fico muito feliz por poder partilhar que já não sou apenas eu quem faz esse serviço no meu estúdio gratuitamente.

7) M: Se as tuas tatuagens ganhassem vida, o que diriam sobre ti? 

MS: As minhas tatuagens ganham vida sempre que as gravo permanentemente na pele das pessoas. Custa-me muito vê-las a ir embora, mas sei que vão ficar bem entregues! Talvez elas me dissessem “até à próxima!” porque ninguém faz só uma tatuagem...

8) M: Neste momento contas com mais de 30mil seguidores na página onde expões os teus trabalhos e com quase 55mil na que, diria ser, a tua conta principal. Utilizas ambas como ferramentas potenciadoras do teu trabalho? Conta-nos. 

MS: Tento não “massar” muito as pessoas que me seguem no @marizaseitatattoo com o meu trabalho nem partilhar muito a minha figura no das tattoos. Gosto de ter as coisas separadas e organizadas, porque há pessoas que gostam de ver os meus trabalhos mas não são obrigadas a levar com as minhas pirosices (risos).

9) M: O que te faz feliz? 

MS: Ter as pessoas que gosto à minha volta, estar sempre a aprender, ter novos projectos, alguém querer tatuar um flash/design meu original, ver as reacções das pessoas quando vêem as tatuagens ao espelho, dançar!

10) M: Se alguém pedisse para seres a sua mentora, o que lhe ensinarias? 

MS: Se fosse no trabalho, diria o que disse e digo ao meu aprendiz “tens de ser melhor do que eu”. Na vida, há que fazer o que te dá prazer e te faz feliz.

 

11) M: Deixa uma mensagem à MELANCIA e aos seus leitores. 

MS: “What you give is what you get”. O facto de estarmos bem e resolvidos connosco próprios, faz com que sejamos bons para os que nos rodeiam, acabando por ser algo recíproco. E ainda: Aprende a gostar do teu corpo pois é a “casinha” da tua alma.

@mstraditionaltattoo

@marizaseitatattoo

@inkandwheels

marizaseita.bigcartel.com

espreita o artigo na revista