escrita & ilustração

Entrevista: juliana lima

FRIDA

FEMINISTA

Se o feminismo está em alta, Lela Brandão, está com tudo. Esta brasileira de 23 anos resolveu fazer as malas e trocar São Paulo por Lisboa. Estudante de Arquitetura e Artes Plásticas revelou-nos os seus projetos pessoais, o objetivo de criar o “Frida Feminista” e revelou-nos que pretende encher as terras portuguesas de “fridinhas”. Hey, miúdas, deixem se inspirar por esta iniciativa e amem-se mais. Cada vez mais.

1) MELANCIA: Quem é Lela Brandão?
LELA: 
Lela Brandão é uma brasileira de 23 anos, estudante de Arquitetura, artista plástica, designer gráfica, feminista, fundadora do Coletivo Feminista Zaha, e artista de rua. Criadora do Estúdio Sinestesia, onde personaliza objetos e faz artes sob encomenda, é também responsável pelo projeto “Frida Feminista”, em que espalha frases feministas como uma forma de democratizar o movimento.

2) M: Frida Feminista é um lindo projeto. Fala-nos do objetivo e como o concebeste.
L: O objetivo da iniciativa é passar os sentimentos de sororidade e empoderamento. Muitas vezes as mulheres, ao andarem pelas ruas da cidade, sentem que não estão no seu lugar, principalmente, quando estão sozinhas. Qualquer caminhada vira sinónimo de desconforto, medo e insegurança. A ideia é que quando uma mulher caminha pelas ruas da cidade e encontra um “lambe-lambe” [poster] com uma mensagem positiva e empoderadora, ela se sinta acolhida, abraçada e mais confortável em ocupar espaços públicos.

3) M: Porque escolheste Frida Kahlo para criar o teu projeto? 

L: Sempre tive uma conexão muito forte com a Frida, tanto pela sua imagem de força e resistência, como pela sua relação com artistas contemporâneas. A arte dos “lambes”, que é uma ilustra da Frida, eu desenvolvi pelo meu Estúdio (Estúdio Sinestesia) e inicialmente vendia como quadrinhos. A ilustração fez sucesso, e como devo tanto da minha luta à minha querida Fridinha, nada mais justo do que ela ser a porta-voz do meu projeto.

4) M: Já ultrapassaste mais de 17 mil seguidores no Instagram. Quando começaste a partilhar este teu trabalho de intervenção nas ruas, podias imaginar o sucesso? 

L: Jamais imaginei que o projeto fosse ter esse alcance, e fico muito feliz!

5) M: Além de espalhares posters, sabemos que já fizeste outros produtos como t-shirts, capas para telefones e malas. Imaginámos que estendeste as peças para quem apoia a causa poder, literalmente, vesti-la. Fala-nos sobre estes desdobramentos. 

L: Foi muito legal o jeito que as marcas abraçaram o “Frida Feminista”. O projeto se estendeu para vestimentas, objetos como canecas, almofadas, enfim. A ideia nunca foi essa, afinal o projeto é um projeto não lucrativo e essencialmente artístico e de rua, mas fico muito feliz que as pessoas tenham se identificado tanto com ele que queiram sair vestindo a “Frida” por aí!

6) M: Qual o teu lema? 

L: Meu maior lema é sempre me guiar pela empatia.

7) M: Sabemos que estás de mudança do Brasil para Portugal. Quais os teus planos para esta nova etapa? 

L: Vou passar algum tempo a estudar Arquitetura e Artes Plásticas, e tentar dar a conhecer os meus projetos. Espero muito que dê certo, e que eu possa agregar tudo o que Portugal tem para oferecer tanto no “Frida”, como no Estúdio Sinestesia!

8) M: Vais continuar com o “Frida Feminista” em terras portuguesas? 

L: Com certeza! Estou a estabelecer-me e a conhecer Lisboa, mas muito em breve vou começar a espalhar as minhas Fridinhas pelas terras portuguesas

9) M: Tens outros projetos em vista? Quais os próximos passos? 

L: O meu projeto principal agora é entender um pouco a cultura portuguesa, a relação das pessoas com a arte e principalmente sobre o movimento feminista aqui na Europa, comparando com o do Brasil, e poder usar essa vivência para fazer os projetos crescerem e entender qual o rumo que eles irão tomar a partir daqui. Estou muito animada!

10) M: Deixa um recado para a melancia mag e os seus leitores. 

L: Parabéns, Melancia Mag, pelas entrevistas super interessantes e pelo trabalho tão competente! Foi uma honra ser chamada para conversar com vocês! Para os leitores que ainda não me conhecem, os convido a passar nas minhas redes sociais para conhecer o trabalho, tanto no @fridafeminista quanto no @estudiosinestesia, e espero que possamos esbarrar-nos pelas ruas portuguesas nos próximos meses!

www.instagram.com/lela.brandao

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED