MÚSICA

Entrevista: rita alvarez

DREAM

PEOPLE

Nomes: Francisco, Diogo, Bernardo, Nuno e João

Idades: 26, 24, 31, 23, 23
Somos de: Lisboa 
Somos conhecidos por: Termos tocado no Vodafone Paredes de Coura com menos de um ano de banda

A nossa arte é: Uma viagem 

1) MELANCIA: Francisco, Diogo, Bernardo, Nuno e João. Em poucas palavras, quem é este conjunto de pessoas que partilha o estúdio e o palco? 
DREAM PEOPLE: Ao contrário da maior parte das bandas, conhecemo-nos através do Facebook. No entanto, partilhamos todos da mesma visão: fazer a música que nos apetece, sem ligar a modas ou tendências. Procurar o belo e explorar a nossa arte sem limites. E nessa viagem tornarmo-nos bons amigos, o que já está bem encaminhado.

2) M: "Forever, too long" é o vosso primeiro single. Contem-nos do que se trata e o que pretendem evocar nas pessoas que o ouvem? 
DP: A “Forever, Too Long” foi a nossa primeira música e espelha uma ideia que partilhamos: a tristeza e a melancolia são também parte da vida. É uma música triste, um lamento sobre a efemeridade dos bons momentos. Foi a música que deu início a tudo. Gravámo-la em Paredes de Coura, numa residência com a Escola do Rock. Foi o impulso dado por esta música e a amizade que travámos com as pessoas fantásticas da Escola que depois nos levou a palcos como o Vodafone Paredes de Coura (Sobe à Vila) e, mais tarde, ao Super Bock em Stock. .

3) M: Identificamos na vossa música a influência de bandas como Cigarrettes After Sex, Beach House e Rhye. São estas as vossas principais referências ou gostariam de destacar outras bandas? 

DP: Essas foram as nossas influências até ao nosso primeiro disco. No entanto, hoje andamos a explorar outros universos e no nosso segundo EP, a ser editado já em Dezembro, encontramos outras influências como por exemplo Radiohead, Jeff Buckley e Gorillaz. No entanto, para já não nos queremos definir como a banda que faz aquele género ou outro. Queremos explorar.

4) M: Qual foi, até agora, a experiência que mais vos marcou enquanto banda? Porquê? 

DP: A experiência que mais nos marcou foi, com menos de um ano de banda, abrir o Festival Vodafone Paredes de Coura 2019. Fomos a primeira banda do primeiro dia. Foi uma experiência de loucos. O venue estava cheio, nós estávamos nervosíssimos, mas tudo acabou por correr bem e recebemos muitos elogios pelo concerto. Tudo isto só foi possível graças à iniciativa fantástica que é a Escola do Rock de Paredes de Coura.

5) M: Qual é o vosso palco de sonho? Onde gostariam de chegar? 

DP: Queremos muito internacionalizar-nos. Sonhamos um dia fazer uma tour pelos Estados Unidos, outra por Inglaterra e ir tocar ao Japão, que sentimos que pode receber bem a nossa música. Cá em Portugal temos o sonho de um dia vir a abrir para bandas com quem nos identificamos, como todas as que foram referidas em questões anteriores.

instagram: @dreampeopleband

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED