ILUSTRAÇÃO

Entrevista: MAFALDA JESUS

VANESSA

TEODORO

Vanessa Teodóro, 32 anos, nasceu na África do Sul mas decidiu trazer o seu talento para a cidade de Lisboa. Mais conhecida como “the super van”, estudou design gráfico, publicidade e ilustração e neste momento descreve-se como “uma miúda que gosta de deitar cá para fora, em forma de bonecos, aquilo que lhe vai na alma”. Fica a conhecer o trabalho desta artista, que é caracterizado por padrões, contrastes e cores fortes.

1) MELANCIA: Quem é a Vanessa?
VANESSA: 
Uma miúda que gosta (e precisa) de deitar cá pra fora em forma de “bonecos” aquilo que lhe vai na alma.

2) M: Porquê “The Super Van?”
V: Foi o nome que arranjei para o meu site. Eu queria algo catchy e nada demasiado obvio como vanessateodoro.com. Sempre gostei do universo da banda desenhada e super heróis e na altura, quando estava a começar esta aventura no mundo das artes (a solo), achava que só mesmo alguém “super” corajosa e aventureira para arriscar.  O nome acabou por ser útil como um alter-ego, dar um nome às minhas criações e para assinar os murais.

3) M: Design gráfico, publicidade, ilustração, street art. Se tivesses que escolher uma, qual seria? Porquê?

V: Se tivesse que escolher uma agora, depois de ter passado por todas, diria ilustração. Todas foram importantes no meu crescimento como profissional, mas acho que a ilustração é aquela com que me identifico mais. A ilustração acaba por ter um pouco das outras áreas: o design gráfico e a publicidade ajudam-me a promover e apresentar melhor o meu trabalho e a street art é apenas a transição das minhas pinturas para superfícies maiores.

4) M: O teu trabalho é caracterizado por padrões, contrastes e cores fortes. Consegues definir o teu estilo de ilustração?

V: Por norma não gosto de deixar espaços em branco, diria que é um estilo complexo, com muito para dizer e que vai beber à pop arte e ao low brow.

5) M: Todos os artistas têm influências e inspirações, fala-nos das tuas.

V: Padrões (especialmente os africanos), banda desenhada, personagens estranhas, bocas e mãos. Adoro em especial o trabalho do Keith Haring.

6) M: Na tua opinião, qual é o papel da street art na comunidade?

V: Tornar a arte mais acessível a todos, educar mentes e abrir olhos para os espaços desaproveitados e abandonados.

7) M: Trabalhas com várias marcas nacionais e internacionais. Achas que a street art e a ilustração se tornou uma tendência?

V: Acho que a ilustração sempre esteve presente com as marcas, foi sempre uma constante e o que pode variar um pouco é o estilo de ilustração que aí sim se torna uma tendência. Neste momento o estilo “naif” (aka mal desenhado, “até meu filho fazia isso”) tem tido bastante destaque. Quanto à street art, sim completamente. Está “na moda” e enquanto estiver, acho que os artistas têm que aproveitar ao máximo para mostrar a sua arte. O que é melhor do que ter um cartão de visita gigante na rua?

8) M: Destaca uma obra tua e explica-nos porquê.

V: O último mural que fiz no Lumiar. Foi o meu maior até agora, foi um desafio em vários aspectos, mas não me arrependo e acho que cresci como artista e pessoa. Foi um dos primeiros murais de arte urbana participativa em Portugal e quanto a isso estou orgulhosa.

9) M: Qual é o teu lema de vida?

V: Sair cada vez mais da minha zona de conforto.

10) M: E o teu maior sonho?

V: Conseguir deixar um pouco de mim e da minha arte no mundo.

11) M: Deixa um recado à MELANCIA mag e aos nossos leitores.

V: Nunca duvides de ti e do teu trabalho.

www.thesupervan.com

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED