Entrevista: JULIANA LIMA

fotografias: NAKED

NAKED

Fotografia, feminilidade e sensualidade. Estamos cá para apresentar “Naked”, o projeto da dupla criativa: Mariana, de 29 anos, e Michelle Garal Moll, de 35. Nasceu da vontade conjunta destas irmãs e sócias brasileiras de trazer ao universo da fotografia de boudoir [ensaios sensuais, vintage, glamorosos], mais personalidade e diversidade. Despe-te de preconceitos e inspira-te.

1) MELANCIA: Quem são Michelle e Mariana?
NAKED: 
Irmãs, amigas e companheiras com gostos muito parecidos e distintos ao mesmo tempo. Fomos criadas com um laço muito forte entre nós e é ele que nos une diariamente para que possamos realizar o nosso trabalho com todo o carinho e dedicação possíveis.

2) M: Como é a vossa relação pessoal e profissional?
N: Somos sócias e irmãs. Temos uma relação muito tranquila em ambas as esferas, apesar de sermos pessoas bem diferentes, o que por vezes resulta em algumas discordâncias, que se resolvem facilmente. Essa relação enriquece muito nosso trabalho, pois respeitamos muito a opinião uma da outra, o que faz com que cresçamos juntas, tanto pessoal, como profissionalmente.

3) M: Contem-nos como conceberam e quando nasceu o projeto “Naked”? 

N: O projeto nasceu de uma vontade conjunta de trazer ao universo da fotografia de boudoir mais personalidade e diversidade, uma vez que a sensualidade e o que a desperta ou estimula é diferente para cada um. É muito comum ainda hoje que as primeiras imagens mentais feitas pelas pessoas quando fala-se em ensaio sensual passem por saltos altos, cuecas fio-dental, meias e cintos de ligas. Peças lindas, porém, que são lugar comum dentro desses ensaios. Nós queríamos que esses retratos tão íntimos e pessoais fossem mais além e que realmente refletissem a individualidade de cada um. O ponto inicial foi ir contra esse paradigma e dar nova luz aos ensaios sensuais, valorizando o desenho do corpo, a composição da imagem, a construção de uma pose, um olhar, um sorriso...

4) M: Recordam-se do primeiro ensaio sensual que realizaram? Com quem e como foi?

N: Nosso primeiro ensaio boudoir, enquanto “Naked”, foi há pouco mais de três anos e ainda é um dos nossos favoritos. A “Naked” era uma recém-nascida e nós ainda não tínhamos nenhum material autorizado para divulgação e tão pouco dispúnhamos de orçamento para uma super produção. Resolvemos então que o ensaio seria feito conjuntamente com um workshop e dessa forma poderíamos arcar com os custos de maquilhagem, cabelo, produção de moda, etc... A Letícia Lima, uma grande amiga nossa, foi quem aceitou ser a primeira fotografada e apostou no cuidado e sensibilidade das nossas imagens. Por fim lá fomos nós, a Michelle e eu, Letícia, produtora de moda, maquilhadora, e várias alunas para o alto de um andar no meio de São Paulo realizar aquele que foi o nosso ensaio estreia. Delicioso e inesquecível.

5) M: O que é que vos dá mais prazer fotografar? 

N: Fotografar dá sempre muito prazer e não somente na nossa área. Poder transpor do plano mental para o visual ideias e vontades, formas, cores e nuances é único. Contudo, encontrámos dentro da fotografia de boudoir um prazer que contempla e depois ultrapassa todos esses valores e as relações humanas, que acabam por ser a parte mais gratificante do trabalho. Ainda que os resultados que obtemos sejam belíssimos, a transformação que um ensaio tem sobre cada mulher, a mudança do olhar sobre si, ela ver o quanto é bonita e sensual, e sobretudo sentir-se bem e feliz consigo mesma, é o que realmente nos move e faz com que cada hora trabalhada valha a pena.

6) M: Analógico ou digital? Porquê? 

N: O analógico é quase artesanal e até terapêutico, adoro para projetos mais pessoais e lazer. O digital, porém, traz-nos uma série de facilidades indispensáveis para o nosso dia e dia e fluxo de trabalho.

7) M: O que vos inspira? 

N: Um montão de coisas, quando separadas. Quando juntas, nossos interesses comuns vão desde o trabalho de outros fotógrafos e artistas nas suas mais diversas plataformas e formas de expressão. As mulheres que fazem trabalhos para outras mulheres, relacionados ou não com nosso trabalho, mas que promovem o bem-estar geral da comunidade feminina e semeiam a sororidade.... Ah! outra fonte de inspiração que não pode faltar é uma boa conversa acompanhada de uma cerveja. Achamos ótimo para revigorar as ideias...

8) M: Quais são os objetivos das mulheres que vos procuram para fazer os ensaios fotográficos sensuais? 

N: De entre os principais objetivos estão o resgate da autoestima e presentear o parceiro (a) com o ensaio para apimentar a relação. Porém, no segundo caso, ainda assim é um presente para os dois. Independente do objetivo final, o ensaio é um encontro dessas mulheres com elas mesmas, em que elas se arranjam e se enfeitam para si, num momento divertido e terapêutico, de descoberta e mimo do próprio corpo.

9) M: Falem-nos sobre um ensaio que vocês fizeram que vos marcou. 

N: Nós lidamos com os mais diversos tipos de mulheres, diariamente, do tipo físico à personalidade e profissão. E por mais diferentes que possamos parecer umas das outras, temos problemas de auto-estima muito parecidos, alguns mais rasos outros mais profundos e, frequentemente, emocionamo-nos com isso, o que faz com que seja muito difícil citar um único ensaio.

10) M: Onde vos encontramos quando não estão a fotografar? 

N: Com nossas famílias e com nossos bichinhos, no convívio com os amigos, a viajar, a descobrir coisas novas e tentando realmente aproveitar o tempo fora do trabalho.

11) M: Deixem uma mensagem à MELANCIA mag e aos seus leitores. 

N: Primeiramente, gostaríamos de agradecer aos leitores que chegaram até aqui e ao espaço que foi aberto a nós pela MELANCIA mag. Mas sobretudo, gostaríamos de dar os parabéns não só a revista, pela iniciativa de dar voz e abrigo a tantos projetos e sabores, como também aos leitores que apoiam e acompanham este belo trabalho.

www.nakedfotografia.com.br

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png