Entrevista: mafalda jesus

ILUSTRAÇÕES: hugo lucas

hugo

lucas

Hugo Lucas, 39 anos, nasceu em Ferreira do Alentejo, mas actualmente vive e trabalha em Lisboa. É formado em design, cerâmica artística, artes plásticas e visuais. Um papel e uma caneta são suficientes para criar universos e histórias com as suas personagens. Viaja connosco nesta entrevista, repleta de cor e vivacidade.

1) MELANCIA: Quem é o Hugo Lucas?
HUGO: 
É um alentejano a viver em Lisboa, um tipo bem-disposto e viciado em criar personagens com um toque de humor e ironia.

2) M: Como é que a ilustração surgiu na tua vida?
H: A ilustração surgiu na minha vida de forma bastante natural. Desde que me recordo, sempre tive o vício de criar. Passei pelo desenho, pintura, fotografia, escultura e ia fazendo experiências em cada uma dessas áreas. Mas o desenho acabou por sobrepor-se e “canibalizar” as outras artes.

3) M: O que é essencial no teu dia a dia? 

H: Uma caneta e uma folha branca. Pode ser um caderno, um guardanapo, uma toalha de papel num restaurante ou qualquer resto de papel abandonado. Não sou esquisito. Desde que dê para riscar, está ótimo.

4) M: Destaca um projeto. 

H: É sempre uma tarefa ingrata destacar apenas um projeto, porque todos são únicos e acabam por marcar-me de alguma forma. Mas talvez destaque a última exposição que fiz em Lisboa, na livraria Leituria, intitulada “(dis) connected”. Eram dez obras cujas personagens apenas comunicavam entre si através de “Emojis”. Deu-me bastante prazer criar as personagens e os “diálogos”. E como tive bastante tempo para o projeto, as conversas que ia criando entre as personagens iam ficando cada vez mais complexas.

5) M: Pintaste recentemente um mural na Mouraria. Qual é a sensação de passar do papel para a cidade? 

H: Sempre gostei de telas grandes, mas, infelizmente, o espaço que tenho para trabalhar nem sempre me permite fazer grandes formatos. Passar do papel para a tela que são as paredes da cidade dá-me essa oportunidade de fazer trabalhos com outra escala. Além disso, acho que tanto os artistas como as cidades beneficiam desta aposta que tem vindo a ser feita na arte urbana.

6) M: Onde encontras inspiração?

H: Em todo o lado! Dos detalhes do quotidiano, ao que leio e vejo ou às obras de outros artistas, tudo tem potencial para me inspirar. Vou respirando e absorvendo tudo para depois verter para o papel.

7) M: Que noção é que um artista nunca deve perder? 

H: O prazer de fazer o que faz.

8) M: Qual é o teu lema? 

H: Não tenho nenhum lema, mas se tivesse seria qualquer coisa do género: “Mais vale um risco no papel do que dois apagados!”

9) M: Deixa uma mensagem para a MELANCIA mag e os seus leitores. 

H: Continuem a riscar tudo de fresco!

www.facebook.com/hugollucas

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png