ENTREVISTA: mafalda jesus

Fotografias: vários

guilherme

cabral

Guilherme Cabral, 25 anos, vem do Estoril e é formado em cinema. Começou a fazer vídeos motivacionais aos 14 anos e a partir daí nunca mais parou. Para além do vídeo, tem uma grande paixão: o Benfica. Possui a enorme capacidade de emocionar milhares de pessoas com o seu trabalho, devido à entrega e dedicação que aplica em cada um deles. Com certeza já ouviste este nome algures, e se não, carrega play num dos seus vídeos e nunca mais o vais esquecer!

1) MELANCIA: Quem é o Guilherme?
GUILHERME: Muitos me conhecem pelo meu amor ao Benfica. Diz a minha mãe que antes de nascer já pontapés “à Eusebio”. Não dei para jogador de futebol, mas cedo me apercebi nas emoções que o futebol oferecia às pessoas. O futebol faz sorrir, faz chorar, cria sonhos e faz sonhar. No fundo, uma partida de futebol trás nos à flor da pele aquilo que um filme cria num espectador. E se há coisa que eu sou é uma pessoa sensível, e que usa essa sensibilidade em tudo aquilo que me meto, para mesmo que não possa oferecer algo perfeito seja, pelo menos, sentido. E se fizer sonhar, ainda melhor...!

2) M: Como começou a paixão pelo vídeo? E pelo Benfica? 

G: A paixão pelo vídeo começou aos 14 anos quando decidi pegar no computador e montar o meu primeiro vídeo do Benfica. Coloquei na internet por piada, mas sem saber bem como, às tantas já tinha centenas de pedidos para fazer outro. Saber que os amigos que os via se emocionavam, aumentou ainda mais a paixão que empregava a fazer estes vídeos. Já a paixão pelo Benfica sei que começou no dia 17 de Março de 1991, quando pelas 18 horas vim ao mundo a chorar e decidi que queria ser feliz...

3) M: O que te inspira? 

G: O que me inspira são sem dúvida as pessoas. Saber que podemos fazer algo que emociona as pessoas é algo que não tem preço, porque viver sem sentir é morrer sem sequer viver. Enquanto houver uma pessoa a se emocionar com o que faço, continuarei a ter inspiração. Porque não há nada melhor na vida do que saber que podemos fazer alguém feliz... Mesmo que seja por meros cinco minutos... É sinal que o trabalho ficou bem feito!

4) M: Qual é a principal mensagem dos teus vídeos? 

G: A minha principal mensagem é passar a emoção daquilo que eu vivo. Tentar por em palavras algo que todos os que acompanham o futebol sentem e encorajá-los também a lutarem pelos seus sonhos. Que não há impossíveis quando lutamos tanto para aquilo que queremos. E que quantas mais pessoas nos dizem que “não dá”, mais força temos de ter para lhes dizer no final que afinal deu!

5) M: O que gostavas que as pessoas pensassem / sentissem ao vê-los?

G: O que mais gosto de ouvir das pessoas quando no final os vem é “fogo! É mesmo isto...”... É saber que ouviram palavras daquilo que sentiram e que se reviram na obra como se tivesse sido escrita por elas...

6) M: Na tua opinião, até que ponto achas que os teus vídeos dão energia e motivação aos jogadores? 

G: Não fazem a diferença, mas acredito que pelo menos contribuem. As palavras do Fernando Santos fazem me acreditar nisso. Acredito que o que reina na cabeça dos jogadores na hora do apito é a concentração e o rigor tático, mas se eles minutos sentirem a importância que tem para milhões de pessoas em todo mundo, se sentirem que milhares de pessoas só tem o futebol na vida para serem verdadeiramente felizes, certamente que lutarão ainda mais a vitória na certeza de que quando a bola entra, milhares são levados a euforia, e se esquecem do resto do mundo. Porque naquele momento.. Nada mais no mundo tem tanta importância quanto sair dali com a vitória na mão.

7) M: Que coisas são essenciais no teu dia a dia? 

G: No meu dia a dia é essencial estar com quem amo, com quem me faz feliz. Só estando feliz e com as pessoas certas em meu redor é que poderei fazer os outros felizes. Sou também viciado em desporto e procuro ir ao ginásio todos os dias.

8) M: “Aprendi que aquele que hoje realiza os seus sonhos, um dia também apenas sonhou. E eu sonho”. Que objectivos tens por cumprir? 

G: Falta-me muita coisa... Ser pai, construir uma família, fazer um filme e pô-lo no cinema, e daqui uns anos conseguir um óscar da academia. Sei que todos se riem quando digo isto, mas não deixa de ser uma motivação para ir a luta e no final, se Deus quiser, dizê-los que “consegui” e festejar junto daqueles que me fazem todos os dias ser feliz.

9) M: Deixa uma mensagem à MELANCIA mag e aos seus leitores. 

F: É muito importante perceber outros mercados mais evoluídos do que o nosso para conseguirmos posicionar a nossa marca a nível interno. Aprende-se muito e principalmente criam-se contactos e partilha-se conhecimento dentro do sector. A internacionalização é um objetivo da empresa, no entanto, queremos sempre dar foco principal ao mercado interno e ir avançando passo a passo.

10) M: Quem está de fora, como nós, sente a grande aceitação e sucesso da marca. Quando começaram, imaginavam que ia ser assim? Os resultados estão dentro das vossas expectativas?

F: Sim, os resultados estão dentro das melhores expectativas. Sabíamos que, quando há qualidade na cerveja e no serviço ao cliente, a empresa iria crescer, que é precisamente io que está a acontecer. Cada vez mais as pessoas percebem a diferença de sabor e aroma que as cervejas artesanais podem oferecer, existindo todos os dias mais consumidores deste produto.

11) M: Deixa um recado à MELANCIA mag e aos nossos leitores. 

G: Como não podia deixar de ser, só vos posso pedir que nunca desistam dos vossos sonhos... E se à vossa volta houver quem se ria deles e ache isso estupido, pensa para ti que estupido é quem não sonha, e que da tua vida. Por mais que todos queiram falar. Só tu a podes viver. Luta, sonha, conquista. E a cada vez que caíres, levanta-te daí e agradece o trambolhão. Porque quanto mais dói no princípio, maior é o sorriso no final!

www.youtube.com/user/Guilherme0Cabral

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png