Entrevista: MAFALDA JESUS

ILUSTRAÇÕES: CRISTINETTE

CRISTINETTE

Cristina Viana aka Cristinette, uma criativa algarvia, que se define como designer, ilustradora e profeta. Gosta de acordar sem despertador e, a partir daí, fala e trabalha até gastar todas as energias. É fascinada pela descoberta e pela pesquisa, que lhe permitem criar e inovar. Diverte-te a ler esta entrevista, cheia de sentido de humor e boa disposição.

1) MELANCIA: Quem é a Cristina?
CRISTINETTE: 
Quem? Eu? Eu, sou a filha do mê pai e da minha mãe, e isso é que importa. A Cristinette é o meu alter ego, sou eu em MAIOR, sou designer, ilustradora e profeta, só isto, e já é um mundo. Portanto, ainda não sei muito bem o que sou... mas vou sendo. Estou em fase de testes... Vou andando. Sou do Algarve. Sou de baixa estatura. O meu Dentista diz que os meus dentes vão durar até aos 100 anos, mas já tive cáries. Não tenho animais de estimação. Mas estimo muito os patinhos da Gulbenkian, também gosto do gato que lá mora, come patinhos ao pequeno almoço.

2) M: O que te atraiu no mundo da ilustração e do design?
C: Já não me lembro se a história começou com a Pantera cor-de-rosa ou com o Mickey... Ainda me lembro de descobrir que afinal a cara da pantera era um conjunto de formas simples, fáceis de reproduzir. Tenho a impressão de que sempre gostei de desenhar. Fui aprendendo motivada pelo espírito critico do meu pai... Aprendi a desenhar com quem não sabe! Parece mentira, mas é verdade. Bem... não é totalmente verdade, o que aprendi foi a gostar de desenhar na realidade só percebi o que era o Desenho, a Ilustração e o Design muitos anos mais tarde.

3) M: O que te inspira? 

CB: A descoberta. Fico satisfeita quando descubro coisas, quando tenho ideias... mesmo que alguém neste mundo já as tenha tido, para mim são novidade. Se não houvesse coisas para descobrir e aprender, os dias eram iguais. Não gosto de dias iguais. Não gosto de coisas iguais. Mas gosto da repetição, de loops, de influências cíclicas e de coisas que vou vendo, por acaso. 

4) M: Que coisas são essenciais no teu dia a dia? 

C: As manhãs... de manhã tenho de acordar. Gosto de acordar sem despertador, no verão (de inverno é mais difícil). E acordo. Depois falo muito, falo até esgotar os assuntos... o que não acontece.

5) M: Na tua opinião, que noção é que um artista nunca deve perder? 

C: Identidade, aquilo que ainda estou a construir, vou ter de construir sempre. A minha identidade ou linguagem, nunca estará perdida nem encontrada. Neste momento, tenho de continuar a procurar... Pratico Yoga há dois anos, (continuo a ser a aluna mais encravada da minha idade lá da turma, para não falar que há senhoras mais velhas muito mais elásticas do que eu... mas ainda não perdi a fé) um dia vou chegar ao último nível, vou entrar no nirvana... Nessa altura acho que não vou procurar mais nada... Ah! Lembrei-me agora, um dia vou morrer... nessa altura não vou procurar mais nada.

6) M: Qual é o teu lema de vida? 

C: Confesso que nunca tinha pensado em resumir os meus objectivos a um só. Bem... tive de recorrer ao Confúcio. ‘’Escolhe um trabalho de que gostes, e não terás que trabalhar nem um dia na tua vida.’’ QUE BOM! que seria... O problema é que às vezes gosto de coisas que não gosto, outras vezes não gosto de nada, outras vezes gosto de fazer qualquer coisa. Só sei que não gosto de fazer a mesma coisa durante muito tempo.

7) M: Deixa uma mensagem à MELANCIA mag e aos seus leitores. 

C: Se quiserem escolher uma boa Melancia, procurem aquela que tem os veios salientes... é... tem de se passar com a palma da mão na casaca, se for muito lisa e regular não presta!. (Foi o meu pai que me ensinou). No outro dia comprei uma melancia e tive sorte!

www.facebook.com/estudiocristinette

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED

Melancia_Icon.png