ILUSTRAÇÃO & STREET ART

Entrevista: Mafalda Jesus

LARA

LUíS

Para a MELANCIA mag #1, que tem por tema “Cultura visual e Lifestyle”, optámos por seleccionar artistas que se enquadrassem no espirito simples, divertido e descontraído da nossa revista. Convidei a inspiradora artista e ilustradora, Lara Luís, que nos apresenta o seu trabalho natural e instintivo, onde o auto-retrato é uma constante.

1) MELANCIA: Que idade tens e qual é a tua formação?
LARA: Tenho 28 anos e tenho uma licenciatura em Design Gráfico e Publicidade e uma Pós Graduação em Ilustração e BD.

2) M: Normalmente os ilustradores como tu têm inspirações artísticas, 

quais as tuas?
L:
Hum, as minhas inspirações artísticas vêm do tempo em que eu colecionava livros das obras dos grandes pintores doutrora, assim como dos graffiters dos anos 90; e de passar o dia inteiro na internet a ver tumblrs de pessoal a trocar comics ou a ver os instragrams de artistas que eu sigo.. Entre outros tipos de formas artísticas, como a música, a fotografia... Por isso, é uma
mixelanea de coisas que me passam pelos olhos todos os dias desde miúda.

3) M: Nem sempre se encontra disposição e criatividade quando precisamos ou queremos. Isto deve acontecer contigo também! Como resolves o fenómeno das áreas criativas, os famosos “bloqueios de criação”?

L: Não consigo resolver geralmente... Espero que passem e rezo para quando me sentir iluminada ainda estar dentro dos deadlines para acabar os trabalhos!

4) M: Gostaria de saber; Como te organizas para conseguir alimentar regularmente o teu projeto de ilustração?

L: Eu sou uma pessoa que não tem um método de trabalho regular, apesar de andar a tentar mudar isso de maneira a aproveitar melhor o meu tempo... Mas depende muito da minha disposição. Não há uma fórmula brilhante, nem um horário das 8h às 18h. Há uma agenda e há prazos que se tentam cumprir. Há alturas do ano em que tenho mais tempo para me dedicar a
projectos pessoais, como as exposições, os comics, etc.. E há alturas em que tenho mais trabalho externo e tento conciliar tudo da melhor maneira. Chega a ser caótico por vezes. Estou a trabalhar constantemente para o esgotamento nervoso.

5) M: Que tipos de técnicas e materiais utilizas?

L: Bastante básico. Papel, lápis, canetas. Quando são originais pinto ainda algumas coisas a acrílico... Caso contrário, digitalizo e passo para o photoshop. Não tenho nenhuma técnica especial, o meu trabalho é bastante simples.. Penso que me preocupo mais em transmitir ideias.

6) M: Imagina uma sucessão de bifurcações. Em que momentos sentiste que estavas a “traçar” o teu caminho?

L: Penso que isso seja um processo e que ainda está a decorrer... Ainda sinto que estou a traçar o meu caminho. Acho que nunca vou sentir que cheguei onde quer que seja por ser uma pessoa tão insatisfeita.

7) M: A tua gata é uma personagem recorrente nas tuas ilustrações.

Conta-nos de que forma o teu dia-a-dia e as relações afectivas influenciam o teu trabalho.

L: O trabalho dito artístico, vá.. Mais pessoal.. É essencialmente auto-biográfico. Por isso, sim, faz sentido utilizar o meu mundo e o que me rodeia para me inspirar. Vejo o meu dia-a-dia quase como uma banda desenhada, imagino quase todos os episódios da minha vida numa tira cómica ou numa ilustração... É algo instintivo.

8) M: Que metas sonhas alcançar num futuro próximo?

L: Em termos de objectivos futuros, gostava de fazer mais algumas exposições individuais. Já tenho algumas planeadas. Gostava de em breve conseguir expôr e trabalhar mais para fora. Está nos planos começar também a fazer publicação independente, talvez com alguns comics que espero começar a fazer com mais regularidade. E.. Fazer dinheiro, para viajar, para produzir mais. Já todos estamos fartos de ser sempre a mesma t-shirt do gato preto, né?

9) M: Se pudesses eleger um “rei” da criatividade, quem seria?

L: É impossível escolher falar de apenas uma pessoa como sendo o expoente máximo da criatividade na minha área... Quando há tantas pessoas neste momento a partir tudo no mundo da ilustração. Há tanta, mas tanta gente que admiro e que a cada dia que passa essa lista aumenta, por isso... Em vez de nos preocuparmos em saber quem é o melhor, acho que deviamos ficar felizes por puder apreciar as coisas boas de vários “bosses” da criatividade ao mesmo tempo.

10) M: Qual o trabalho de maior simbolismo para ti?

L: Acho que não preciso de pensar muito.. Sem dúvida as ilustrações que fiz para a minha exposição em Lisboa em Janeiro desde ano ainda me dizem muito. Estava mesmo a precisar por aquilo cá para fora. Aquela exposição foi uma referência a uma fase em particular da minha vida, fiquei feliz por ter conseguido transmitir algumas ideias e ilustrações que já tinha pensadas há alguns anos.

11) M: Deixa aqui um recadinho teu para MELANCIA #1!

L: Melancia, melhor cena. Espero que esta revista também o venha a ser : )

www.behance.net/lara_luis

www.instagram.com/lara_luis

espreita o artigo na revista

CONTACTos

  • ig
  • fb
  • yt

MELANCIA MAG 2018 © ALL RIGHTS RESERVED